13/12/16

RUI PATRÍCIO 12º DO MUNDO ? Toda a verdade

Quem tenha ouvido ou lido a notícia, poderá ser levado a pensar que um vasto lote de especialistas colocou o guarda-redes do Sporting no top-12 do futebol mundial - porventura em virtude da sua excelente exibição na final do Europeu.
Não! O facto deve-se exclusivamente a um anónimo cidadão cabo-verdiano chamado André Amaral.
Perceba-se porquê:
A votação "desta" Bola de Ouro não foi feita por treinadores ou capitães das selecções nacionais (como acontecia nos últimos anos, e como acontecerá com o prémio Jogador do Ano da FIFA, agora a atribuir em separado, no próximo mês de Janeiro). Aqui a votação foi feita por jornalistas, um por cada um dos 173 países convidados, que tinha a missão de escolher três nomes, valendo à primeira escolha 5 pontos, a segunda 3 pontos, e a terceira 1 ponto. Da soma de todos os votos, resulta a classificação final.
No geral, os votados não foram assim tantos (Ronaldo, Messi, Neymar, Suarez, Bale, Griezmann e mais alguns nomes esperados, e outros... nem por isso).

Onde entra então Rui Patrício?
Entra com 6 pontos, decorrentes de um terceiro e um primeiro lugar nas escolhas de 2 dos 173 votantes - o que lhe permitiu, numa tão restrita lista de votados, aparecer na classificação final numa inusitada 12ª posição.
Admita-se que um desses pontos tenha sido oferecido com alguma boa vontade, por parte de um sportinguista de Macau, chamado Pedro André Santos ("Tribuna de Macau"), que lhe atribuiu o 3º lugar atrás de Ronaldo e Griezmann (talvez até para ajudar a impedir Messi de discutir a vitória). Ok, tudo bem. Não choca, nem ofende a verdade.
Mais estranhos são os restantes 5 pontos. Os mesmos resultam de um comovente 1º lugar (!!!!) atribuído pelo representante de Cabo Verde (outro país de língua portuguesa).
Trata-se do Sr. André Amaral (do jornal "Expresso das Ilhas") - que, curiosamente, não colocou nem Cristiano Ronaldo, nem Messi, nem Griezmann, entre os três melhores. Álcool no sangue? Brincadeira com amigos? Uma aposta? Sportinguismo? Só ele saberá.

Ver também

Tal pode confirmar-se através da infografia abaixo, retirada do jornal "Record". Basta clicar para aumentar, e ver todos os votos de todos os votantes:

O próprio "France Football" (organizador do prémio), considera esta opção como uma das mais surpreendentes. E noutra publicação francesa, a mesma figura num artigo que fala dos votos exóticos (houve também um adepto da Juventus, de San Marino, que escolheu Buffon (!!) para melhor do ano).
A quem perceba um pouco de francês, aqui ficam algumas citações.
Para quem não perceba, eu traduzo, "isto é um embuste":

FRANCE FOOTBALL:  "En club, son année n'a pas été aussi réussie. Avec le Sporting Portugal, Rui Patricio n'a rien gagné. En Championnat, son club a échoué à la deuxième place du classement. En Ligue des champions, l'équipe portugaise a été éliminée dès la phase éliminatoire de la C1"

SPORTS: "Un gardien à l’honneur également pour le journaliste de Cap-Vert qui a fait encore plus exotique en nommant Rui Patricio devant Paul Pogba et Bale"
Acrescentando muito justamente que..."pas de quoi remettre en cause le quatrième sacre de CR7"

EUROSPORT "C'est la grosse surprise de ce début de classement. Gardien titulaire du Portugal, Rui Patricio fait une entrée fracassante dans le classement en terminant directement 12e"

O desafio que fica ao leitor é o de encontrar mais comentários a estas escolhas, noutras publicações internacionais. Eu não tive tempo para procurar muito.

NOTA FINAL: Também eu estou grato a Rui Patrício pelo que fez no Europeu, e entendo que é, indiscutivelmente, o melhor guarda-redes português da actualidade. Acho-o também um profissional respeitável, correctíssimo, e que sabe honrar a camisola da Selecção Nacional.
Tenho, porém, muitas dúvidas de que seja, sequer, um dos três melhores guarda-redes do campeonato português (onde estão, recorde-se, Ederson, Júlio César e Casillas). E tenho absoluta certeza que não está, nem alguma vez estará, entre os 50 melhores jogadores de futebol do mundo, nem em 2016, nem em qualquer outro ano passado ou futuro.
Em todo o caso, acho que uma camisola autografada era o mínimo que Patrício poderia enviar ao seu amigo cabo-verdiano. Fica a sugestão.
E já agora aproveitaria também para deixar os parabéns a Cristiano Ronaldo. Esse sim, colocado no lugar que lhe compete.


1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Parabéns pelo texto publicado.

Também concordo que Patrício não estará sequer entre os 50 melhores, ou mais decisivos, jogadores do ano.

Fez um bom europeu é verdade e é um bom guarda-redes.

De qualquer forma estes prémios têm sempre estas escolhas exóticas.

Como não dar pontos a Messi para beneficiar Ronaldo ou vice-versa.

Ou como aquele jornalista do Record que não votou no Renato que acabou por vencer o prémio para melhor jovem do ano e que levou o Record a explicar-se quando se tornou público.

O que o futebol tem de bom é que o resultado não depende da subjectividade de juízos humanos. Tirando o árbitro, claro, e sabemos a polémica que gera.

Se fossem os "especialistas" que falaram na TV, rádios e jornais, a atribuir os resultados no Porto-Benfica e no Benfica-Sporting, o Benfica teria sido goleado em ambos os jogos.

Este tipo de prémios individuais, como diz o Wenger, não fazem sentido nenhum.

E são completamente manipulados. Não fosse o Jorge Mendes e duvido que o Ronaldo tivesse mais que 1 ou 2 botas de ouro.

13.12.16  

Enviar um comentário

<< Home