23/02/17

O DERBY DA CORRUPÇÃO

O jogo entre dois clubes condenados por corrupção desportiva, um do norte de Portugal, outro do norte de Itália, ambos às riscas, só poderia mesmo ser arbitrado por Felix Brych (juiz da final da Liga Europa em Turim).
Balanço final: um golo limpo anulado aos corruptos de Itália.
Tudo bons rapazes...

PS: Quanto ao cartão vermelho, foi claramente mostrado ao contrário. Os jogadores da Juventus que sofreram duas entradas assassinas é que deveriam ser sido expulsos...
Não?? Nas provas internacionais não é assim?? Ah, ok, é só por cá.

22/02/17

BENQUERENÇA NO BESSA!

...não é ele, mas é o sobrinho, e afilhado. O homem que, no ano passado, quase roubou o Campeonato ao Benfica, com uma expulsão de Renato Sanches no Funchal após um lance anedótico de penálti não assinalado (corajoso, o cavalheiro!). É também o homem que, nos jogos que dirigiu do FC Porto esta época, expulsou sempre um jogador adversário. Expulsa, aliás, jogadores com bastante facilidade, excepto... Felipe (que deixou terminar a partida com o Moreirense, no Dragão). É ainda o homem que, em Arouca, não viu um penálti tamanho do estádio (da Luz) sobre Rafa, não mostrou vermelho ao jogador da casa (lá está, nem sempre é tão intolerante, depende das cores), e quase ia sonegando dois pontos aos encarnados.
O Boavista que se cuide. Será como se entrasse a perder. E duvido muito que termine com 11 jogadores.
Sabendo-se que neste jogo o FC Porto estará provavelmente cansado, sabendo-se que a arma do Boavista seria aproveitar esse cansaço com alguma agressividade física, esta nomeação parece - também por isso - ser mais uma habilidade do Conselho de Arbitragem.
Já na passada semana aqui me insurgi contra as nomeações. Infelizmente, tinha razão, e o resultado foi o que se viu. Ou muito me engano ou terei de citar este post novamente.
É oficial: estamos de volta aos anos noventa...

INDIGNAÇÃO!

Apesar do triunfo alcançado em Braga, e da manutenção da liderança do Campeonato, confesso que, no domingo à noite, senti uma enorme preocupação.
Independentemente dos resultados, o que se passou nos estádios em que se lutava pelo título não pode ser branqueado. O Benfica ganhou, mas o golo de Mitroglou não apaga mais uma arbitragem desastrosa, e muito penalizadora para o nosso Clube – algo que, sobretudo de há uns meses para cá, se transformou num hábito.
Dois penáltis por marcar e um golo mal anulado, entre outros erros menores, são matéria mais do que suficiente para estabelecer um padrão: o campo estava inclinado, como esteve nos jogos com o Boavista, com o Moreirense e com o V.Setúbal. Paralelamente, o FC Porto, em vésperas de compromisso europeu, viu a sua equipa simpaticamente guiada até a uma confortável vitória, por uma arbitragem digna dos anos noventa. Como disse o treinador do Tondela, o que ali se viu foi surreal, e é assustador para quem esperava um Campeonato decidido apenas dentro das quatro linhas.
Assusta mas, infelizmente, não surpreende. Quando, no início de Janeiro, os árbitros foram objecto de uma inusitada campanha de intimidação a duas vozes, temi desde logo os efeitos. Eles não se fizeram esperar. Aí os temos. Nas nomeações, e consequentemente nos jogos.

Este Campeonato é muito importante para nós, mas ainda mais importante para o nosso adversário directo. Os últimos quarenta anos ensinaram-nos muito. Alguns dos protagonistas mantêm-se e a falta de pudor também. As pressões metem medo e fazem mossa. Esperar algo diferente é como acreditar no Pai Natal.

17/02/17

RANKING UEFA


15/02/17

TIAGO MARTINS?!? COMO É POSSÍVEL?!?

O árbitro do Moreirense-Benfica, da Taça da Liga, que validou dois golos irregulares à equipa de Inácio. O árbitro que expulsou Rui Vitória. O árbitro que anulou um golo limpo a Mitroglou em Chaves. É este o homem que vai dirigir um dos jogos mais importantes do Benfica na caminhada para o Tetra. Os deuses devem estar loucos. Ou então é o CA.
CA esse que nomeou para o jogo do FC Porto o árbitro que validou... três golos irregulares ao Boavista na Luz.
Poderia dizer-se que, neste estúpido campeonato, Luís Ferreira e Tiago Martins estão empatados 3-3. Veremos no fim-de-semana qual dos dois mostra maior zelo a tentar impedir os objectivos do clube encarnado.
Pobre campeonato! Ricos super-dragões! 

PASSADO E PRESENTE: dois símbolos

1. A chegada de Fernando Chalana à equipa principal do Benfica coincidiu, no tempo, com o meu despertar para o futebol. Ainda muito jovem, já o “pequeno genial” era a estrela que fazia a diferença. Com barbas grandes e um pé esquerdo divinal, trocava os olhos a qualquer defesa. Sempre com um toque de magia, driblava, cruzava e marcava. Todos na escola queríamos ser como ele. Era um ídolo. Era o ídolo.
Para a minha geração – que já não chegou a tempo de Eusébio – Chalana lia-se Benfica. Havia outros (Bento, Humberto, Toni, Shéu, Nené…), mas Chalana era o melhor. Foi ele o “meu” Eusébio.
Na semana passada, Chalana completou mais um aniversário. Para os mais novos, que nunca o viram jogar, é preciso dizer que se tratou de um craque, que facilmente entraria num top-5 dos melhores de sempre do futebol português. Se têm dúvidas, vejam ou revejam o Europeu de 1984.
Devo-lhe muito do meu benfiquismo.

2.Luisão completou esta semana a impressionante soma de quinhentos jogos de águia ao peito. Nessa estatística, só é suplantado por Nené, Veloso e Coluna, figurando à frente de nomes como Eusébio, Simões, Humberto, Shéu e Bento. Anderson Luís da Silva veio para o Benfica em tempos difíceis, quando nada ganhávamos. Quando começávamos a recuperar do período mais negro do nosso historial. Daí para cá fomos crescendo, até atingir o nível gigantesco e ganhador que ostentamos hoje. Luisão foi, dentro do campo, o principal rosto desse processo. Capitão com letra grande, tem o seu lugar assegurado na história do Benfica.


Chalana e Luisão, dois símbolos maiores do Glorioso. Os meus parabéns a ambos!

10/02/17

O ESTADO A QUE CHEGOU O SPORTING (e que os jornais omitem...)

Apesar dos jornais desportivos parecerem mais ou menos domesticados (os meus parabéns ao Saraiva, excelente trabalho!), e pouco falarem do assunto (estão mais preocupados com os jogadores que saíram ou podem sair do Benfica), este é o verdadeiro estado a que chegou o Sporting, num ano em que gastou milhões e mais milhões, sabe-se lá de quem, ou de quando:

FUTEBOL (plantel e treinador mais caros de sempre)
CAMPEONATO: Terceiro lugar a  dez pontos do primeiro, e a nove pontos do segundo. Afastado do título, e do acesso directo à Liga dos Campeões
TAÇA DE PORTUGAL: Eliminado pelo Chaves nos quartos-de-final
TAÇA DA LIGA: Eliminado pelo Vitória de Setúbal na fase de grupos
SUPERTAÇA: Não se apurou para esta, nem se apura para a próxima
LIGA DOS CAMPEÕES: Eliminado na fase de grupos, em último lugar, com cinco derrotas em seis jogos
LIGA EUROPA: Não se apurou, perdendo o acesso em jogo com o Legia de Varsóvia
Em 33 jogos oficiais, perdeu onze, apesar das contratações milionárias (Douglas, André, Spalvis, Castaignos, Markovic, Petrovic, Elias, Meli, Ruiz, etc), e de um treinador cujo salário de nove milhões de euros anuais o coloca entre os mais bem pagos da Europa
EQUIPA B: Está em 20º lugar, abaixo da linha de água, e leva onze jogos consecutivos sem ganhar
CAMADAS JOVENS: Ainda não começaram as fases finais dos campeonatos nacionais de Juniores, Juvenis e Iniciados (nesta última tem o apuramento em risco). Foi o único clube português afastado da Youth League na fase de grupos

HÓQUEI EM PATINS (plantel e treinador mais caros de sempre)
CAMPEONATO: Quarto lugar a oito pontos do primeiro, a seis pontos do segundo, e a cinco pontos do terceiro. Afastado do título, após investimento inusitado, sobretudo no mercado espanhol
LIGA EUROPEIA: Afastado na fase de grupos, logo na quarta jornada, depois de três derrotas. Única das quatro equipas portuguesas afastada nesta fase
TAÇA DE PORTUGAL: Vai ao Dragão na primeira-eliminatória
SUPERTAÇA: Não se apurou

ANDEBOL (plantel e treinador mais caros de sempre)
CAMPEONATO:  Segundo lugar a seis pontos do primeiro. Acabou de perder em casa com o FC Porto por 26-27, depois de estar a ganhar 26-19 (!). Fala-se com insistência em problemas de balneário, devido a gritante amplitude salarial, decorrente de contratações milionárias, e muito acima da realidade portuguesa
TAÇA CHALLENGE: Vai participar nos oitavos-de-final da terceira competição europeia da modalidade. ABC está a disputar a Liga dos Campeões, e Benfica está na Taça EHF (primeira e segunda em importância, respectivamente)
TAÇA DE PORTUGAL: Vai jogar com o Benfica nos quartos-de-final
SUPERTAÇA: Não se apurou

FUTSAL (plantel e treinador mais caros de sempre)
CAMPEONATO: Está no primeiro lugar da fase regular (empatou em casa com o Benfica, e ainda vai à Luz)
UEFA CUP: Apurou-se, em casa, para a final-four, a disputar no Cazaquistão
TAÇA DE PORTUGAL: Passou a primeira eliminatória frente a uma equipa dos escalões secundários
TAÇA DA LIGA: Ainda não começou
SUPERTAÇA: Perdeu com o Benfica (em dois jogos com o rival, não ganhou nenhum)

ATLETISMO (plantel mais caro de sempre)
ESTRADA: Perdeu com o Benfica (apesar da contratação de vários atletas ao rival)
PISTA COBERTA: Ainda não se realizou
CORTA-MATO: Ainda não se realizou
AR LIVRE: Ainda não se realizou

BASQUETEBOL
Não tem (tinha equipa feminina, mas acabou este ano)

VOLEIBOL
Não tem

PAVILHÃO
Estava para ser inaugurado este mês. Parece que vai existir apenas uma pré-inauguração (!?!) simbólica. Espera-se que não haja acidentes, e ninguém fique mal

O próprio leão pode já ter desistido, mas há quem goste muito, mas mesmo muito, de ficar onde está. Como o que a populaça quer é sangue, folclore e voz grossa, e satisfaz-se apenas em fazer cócegas ao Benfica, Bruno de Carvalho vencerá tranquilamente as eleições. Infelizmente, já vi este filme na Luz, com alguém que também gostava muito, mas mesmo muito, de estar onde estava, com populaça, voz grossa, folclore e até algum sangue. Orgulho-me de, então, ter estado convictamente, e na luta, do lado certo da história. Poderão muitos sportinguistas alguma vez dizer o mesmo?

ALERTA AMARELO

Nos próximos cinco dias o Benfica tem dois compromissos de elevado grau de dificuldade, curiosamente ambos diante de conjuntos que vestem de amarelo.
Se no caso do Dortmund é fácil perceber os problemas que a nossa equipa terá de encarar, frente ao Arouca a questão coloca-se sobretudo a outros níveis.
Um Benfica no seu melhor venceria sempre o Arouca. Mas a história diz-nos que as vésperas de jogos internacionais trazem água no bico, e são alçapões onde é preciso muito cuidado para não cair.
Não é fácil abstrair os jogadores da montra profissional que têm de seguida, e concentrá-los numa partida doméstica contra um adversário do meio da tabela – que podem tender a achar se resolverá por si própria.
Nada mais errado. Esse seria o primeiro passo para perder pontos, e perder a liderança do Campeonato. Até porque o Arouca está em crescendo, com sete vitórias nos últimos doze jogos.
Independentemente de todos pretendermos uma boa prestação frente ao Dortmund, importa lembrar que o Benfica já foi duas vezes Campeão Europeu, ainda no ano passado chegou aos Quartos-de-Final da prova, e poderá voltar a fazê-lo em qualquer das próximas temporadas.
Já um Tetra-Campeonato é coisa que nunca, em mais de um século de história, conseguimos alcançar, nem será possível consegui-lo no próximo ano ou nos seguintes.
É essa, pois, a grande prioridade da nossa equipa. E nenhum jogo europeu, por mais belo que seja, por mais apetitoso que pareça, poderá desviá-la do seu foco.
Um Benfica de copo cheio manterá, esta noite, a liderança do Campeonato. Quanto à Champions, o que tiver de acontecer, acontecerá.

08/02/17

OS DEZ PONTOS QUE OS ÁRBITROS TIRARAM AO BENFICA

 2ª JORNADA: Benfica-V.Setúbal, 1-1 (Manuel Oliveira, do Porto)
- Golo irregular do V.Setúbal por duplo fora-de-jogo
-Expulsão perdoada a Vasco Fernandes
-Permissividade ao anti-jogo, com pouco tempo de desconto
RESULTADO REAL: 1-0
PONTOS SONEGADOS: 2



12ª JORNADA: Marítimo-Benfica, 2-1 (Vasco Santos, do Porto)
- Penálti não assinalado sobre Nélson Semedo
- Penálti não assinalado sobre Pizzi
-Penálti não assinalado sobre Salvio
-Golo do Marítimo com falta sobre Ederson
-Vários cartões poupados a jogadores do Marítimo
-Permissividade do árbitro ao anti-jogo, com pouco tempo de desconto
RESULTADO REAL: 1-4
PONTOS SONEGADOS: 3



17ª JORNADA: Benfica-Boavista, 3-3 (Luís Ferreira, de Braga)
- Penálti por assinalar em lance com Gonçalo Guedes
-Golo irregular do Boavista, antecedido de pisão sobre Rafa
- Golo irregular do Boavista por carga nas costas sobre André Almeida
-Golo irregular do Boavista por fora-de-jogo
RESULTADO REAL: 4-0
PONTOS SONEGADOS: 2




19ª JORNADA: V.Setúbal-Benfica, 1-0 (João Pinheiro, de Braga)
- Expulsão poupada a Nuno Pinto
- Vários cartões amarelos por mostrar
-Penálti por corte com as mãos a remate de Mitroglou
-Penálti por assinalar por falta sobre Carrillo
RESULTADO REAL: 1-2
PONTOS SONEGADOS: 3




TOTAL PONTOS ROUBADOS: 10
"Se outros calam, cantemos nós..."

01/02/17

NÃO SÃO BENFIQUISTAS. SÃO...ESTÚPIDOS!

...ou então teríamos o mundo de pernas para o ar.
Uma equipa tri-campeã, que lidera o Campeonato, que está nas meias-finais da Taça, que está nos oitavos da Champions, ser tratada assim, só pode ser coisa de gente completamente estúpida.
Uma coisa é sofrer com as derrotas, outra é  este tipo de comportamento perante aqueles que tanto têm trabalhado por vitórias.
É fácil juntar dez ou vinte idiotas, e fazer este espectáculo. Quem o terá promovido? Fica a dúvida.

OLHAR PARA A FRENTE

1.Neste Campeonato, o Benfica perdeu pontos em cinco jogos. Em quatro deles foi claramente prejudicado pela arbitragem.
Deixemos de parte a ainda precoce segunda jornada. Todas as outras,  Marítimo,  Boavista e V.Setúbal – podíamos acrescentar também a eliminação da Taça da Liga -,  ocorreram na sequência de uma inusitada gritaria lançada pelos rivais, à qual respondemos com silêncio. Silêncio facilmente confundido com cumplicidade. Em linguagem popular: deixámos enfiar a carapuça.
Pode entender-se, e até louvar-se, a bondade da estratégia,  mas está claro, neste momento,  que se tratou de um erro.
Que nos sirva de lição.
Jamais nos poderemos deixar colar aos árbitros (ou às instâncias de arbitragem),  pela simples razão de que eles também não podem,  nem querem, colar-se a nós. Nem nós queremos que o façam.
O que temos é de garantir que a pressão de outros quadrantes não surta efeitos, e não condicione comportamentos. Não podemos permitir que o embuste e a mentira vinguem.
Grande parte das decisões dos árbitros são tomadas instintivamente. Ouvindo barulho só de um lado, é humano que se defendam. Daí, na dúvida, não irão marcar penáltis aos 95 minutos,  sabendo que contam com o silêncio dos eventuais lesados.

2. Pode argumentar-se que as últimas exibições não estiveram ao nível a que nos temos habituado. Mas quem, em Portugal, tem jogado melhor futebol do que o Benfica?
Estamos na frente. As horas difíceis são para os verdadeiros Adeptos. Aqueles que choram. Aqueles que sentem cada derrota como uma facada na alma. É desses que a equipa precisa agora. É esse o nosso desafio.